Projetos
QUILOMBOS DO VELHO CHICO, TERRITORIOS PRODUTIVOS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Finalidade

Promover o cultivo e a produção de hortaliças e mandioca mediante a implantação de tecnologias apropriadas à agroecologia, agregando valor e inserindo a produção na economia de mercado, bem como, aproveitando, de forma racional e sustentável, as potencialidades, as vocações, as oportunidades produtivas e a capacidade empreendedora dos jovens, das mulheres e dos agricultores familiares, como instrumentos de geração de trabalho e renda no Território Quilombola do Brejão dos Negros no município de Brejo Grande, Sergipe.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 

  • Promover o cultivo e produção de tomate, pimentão, cebola, coentro, couve-flor, alface, cebolinha, abóbora sem uso de agrotóxicos;
  • Produzir e agregar valor ao beneficiamento da mandioca e os seus derivados;
  • Inserir a produção no mercado consumidor sergipano;
  • Organizar, capacitar e assessorar a Associação Comunitária Quilombola para gerir a produção sob os pilares de um empreendimento comunitário produtivo.

A unidade integrará a produção em sistema de policultivo, compreendendo também a cultura de hortaliças, criação de galinhas caipira, a produção de muda e forrageiras. Está instalada na comunidade quilombola de Brejão dos Negros, no município de Brejo Grande, numa área de 1 hectar e envolvendo cerca de 20 famílias e aproximadamente 120 pessoas, dentre elas, 15% de jovens. Quando a lavoura começar a produzir serão retiradas da terra verduras e leguminosas de ótima qualidade, sem qualquer resíduo de agrotóxico industrializado.

A PETROBRAS

A Petrobras foi criada em 3 de outubro de 1953, após anos de uma intensa campanha desenvolvida pelo povo brasileiro.  Já nos primeiros anos, a empresa demonstrava o seu potencial como produtora de energia, tornando-se orgulho do nosso povo e referência para o mundo.

Em Sergipe, a Petrobras começou sua atuação em 1963, com a descoberta do campo de Carmópolis. Foi no mar sergipano que a empresa descobriu as primeiras reservas de Petróleo na costa brasileira.

A partir da atuação da Petrobras Sergipe se transformou. Aracaju consolidou seu  modelo de cidade e vida urbana, basicamente a partir da década de 1970, como resultado direto da atuação da Petrobras.

As pesquisas, as novas tecnologias e as consequentes  descobertas de novas bacias e as elevações dos níveis de produção, contribuíram para que cada vez mais a Petrobras reafirmasse o seu compromisso com o Brasil. As suas atividades geram desenvolvimento econômico, mas também ampliam a qualidade de vida de toda a sociedade. Por isso, faz investimentos sociais que refletem o compromisso com a história e o futuro das comunidades onde atua.

Em 2013 foram investidos R$ 780 milhões em mais de 1.600 projetos sociais, ambientais, culturais e esportivos no Brasil e nos diversos países onde atua. Além da transferência de recursos financeiros, são realizadas capacitações e avaliações que colaboram para a estruturação dos projetos, fortalecendo as organizações e o estabelecimento de novas parcerias.

 

Conheça os programas de patrocínio da Petrobras:

Programa Petrobras Socioambiental – Projetos relacionados a temas socioambientais, com práticas voltadas para um ambiente ecologicamente equilibrado e socialmente equitativo.

Programa Petrobras Esporte & Cidadania - Projetos que apoiam o desenvolvimento do  esporte olímpico brasileiro e contribuem para a democratização do acesso a práticas esportivas educacionais.

Programa Petrobras Cultural - Projetos que contemplam as várias etapas da cadeia produtiva da cultura, desde a pré-produção até o consumo final dos bens e serviços culturais.

 

A maior parte dos projetos é contemplada via seleções públicas, que contam com inscrições gratuitas, em todas as regiões do país. Quando uma seleção está aberta,  se faz ampla divulgação e são oferecidos esclarecimentos para os proponentes de forma presencial e virtual.

O Projeto Quilombos do Velho Chico, Territórios Produtivos, patrocinado pela Petrobras, foi submetido ao processo de seleção regional, competindo com centenas de projetos da região Nordeste. 

A COMUNIDADE

Localizado no município de Brejo Grande, o qual apresenta os menores índices de desenvolvimento humano-IDH do estado de Sergipe, o território quilombola  é constituído pelas comunidades de Resina, Carapitanga e Brejão dos Negros, situado  na área do grande patrimônio natural, a foz do Velho Chico, o rio da integração nacional .

A realidade geral de todas as comunidades e especialmente, a de Brejão dos Negros, apesar da vocação para as atividades agrícolas e pesqueiras. No que se referem às atividades agrícolas, estas se tornaram inviáveis por muitos anos devido à ausência de terras para as comunidades e famílias.

Com o reconhecimento do território quilombola pelo Governo Brasileiro a comunidade de Brejão dos Negros tornou-se proprietária de 469 hectares de terras. Apesar das condições limitadoras, após a comunidade receber a Fazenda Batateiras, logo se organizou para torná-la produtiva. Com esse objetivo foi elaborado coletivamente um método de trabalho em que todos se envolvem com as atividades de capina, aragem da terra e o plantio da mandioca, da melancia, quiabo, etc., bem como com a construção da Casa de Farinha. Porém, é preciso que se tenham as condições técnicas, estruturais e financeiras para que o território se torne produtivo, para que a terra venha a cumprir a sua função social de gerar trabalho, alimento e renda.

O PROJETO

O Projeto Quilombos do Velho Chico. Territórios Produtivos nasceu do Encontro das Comunidades Remanescentes de Quilombos do Baixo São Francisco, realizado na cidade de Propriá no período de 14 a 16 de junho de 2013. Nesse encontro as comunidades estabeleceram algumas metas a serem atingidas até 2016, dentre elas a implantação de cultivo de hortaliças nas diretrizes de transição agroecológicas.

A perspectiva é emular as potencialidades, as vocações, as oportunidades produtivas e a capacidade empreendedora dos jovens, das mulheres e dos agricultores familiares, como instrumentos de geração de trabalho e renda no Território Quilombola do Brejão dos Negros no município de Brejo Grande.

O Território Quilombola de Brejão é um acervo de riqueza natural, haja vista a presença do Rio São Francisco e as áreas de preservação ambiental, de riqueza sociocultural, considerando todo o patrimônio produzido por sua gente durante dezenas ou mesmo centenas de anos. As marcas deixadas em cada pedaço de chão pelos ancestrais escravizados e rebelados imprimindo as marcas da sua forma de organização, de luta e de sonhos de liberdades.

Compreender esse quilombo como um território produtivo, é abarcar a multiplicidade da riqueza nele engendrada. As histórias de vida, as relações comunitárias, as experiências coletivas, os meios de garantia da sobrevivência, as vocações, os desejos, tudo isso se articulam no processo de construção de alternativas de geração de trabalho e renda.